Oi gente! Hoje é dia de resenha. Quando a Editora Planeta de Livros Brasil anunciou os blogs parceiros, fui logo me interessando por "Filosofia para corajosos - Pense com a própria cabeça." Não que eu seja extremamente filosófica ou coisa parecida, mas como já estudei bastante o tema no Ensino Médio e na graduação, resolvi me aventurar, já que a obra tem uma pegada contemporânea. Vamos lá:

Título: Filosofia para Corajosos.
Autor: Luiz Felipe Pondé
Editora: Planeta do Brasil
Número de páginas: 192
ISBN:  8542207513
Ano: 2016

Sinopse:
O objetivo deste livro é ajudar o leitor a pensar com a sua própria cabeça. Para tal, o filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé, autor de vários best-sellers, se apoia na história da filosofia para apresentar argumentos para quem quer discutir todo e qualquer tipo de assunto com embasamento. Afinal, os grandes filósofos estudaram, pensaram e escreveram sobre os temas essenciais com os quais ainda lidamos no mundo contemporâneo. O livro está dividido em três partes: "Uma filosofia em primeira pessoa", onde o autor conta como ele entende a filosofia; "Grandes tópicos da filosofia ao longo do tempo", que traz um repertório básico dos temmas que todo mundo precisa conhecer mais a fundo; e "Por que acho o mundo contemporâneo ridículo?", uma análise ferina da sociedade atual.

Já começo dizendo que o título do livro é bem pertinente. Para adentrar assuntos tão questionáveis como vida, religião e modernidade, é preciso muita coragem. Pondé, tem, e muita. A obra é uma espécie de guia filosófico, que paira sobre as principais perguntas que fazemos e sentimos, até chegar ao motivo de o autor acreditar que o mundo contemporâneo é ridículo. Melhor explicando: ele divide a narração em três partes: a primeira, intitulada "Uma Filosofia em primeira pessoa" explica um pouco sobre sua maneira de filosofa, a segunda, "Grandes tópicos da filosofia ao longo do tempo" traz um panorama da Filosofia a partir de contextos históricos e joga questões sobre religião e espiritualidade, metafísica, moral, ética, hedonismo, narcisismo, economia e marketing moral e do comportamento. Na terceira parte, "Por que acho o mundo contemporâneo ridículo?" Pondé trata exclusivamente do mundo contemporâneo, explicando termos, situações cotidianas, desigualdade social, a mania de perfeição e porquê acredita que estamos vivendo em uma época tão "feia".

Esse livro é uma espécie de história da filosofia vista pelos meus olhos. Na linguagem do grande filósofo Friedrich Nietzche (século XIX), pensar com a própria cabeça ou fazer uma história da filosofia vista pelos seus próprios olhos é "aprender a falar sua própria língua". (Pág. 12)

Seres humanos que optam por uma vida perfeita acabam escravos dessa perfeição. (Pág.114)

O mundo contemporâneo  da democracia  tem uma vocação para ser devorado pela política como linguagem das coisas. (Pág. 137) 
A escrita do autor é fluída, uma linguagem acessível, bem próxima ao leitor, não tem aqueles termos tão "bicho de sete cabeças" que só quem é da área entende, ou que precisem de um dicionário ao lado para conseguir dar conta da leitura. Porém, o autor me pareceu subestimar um pouco os leitores em vários momentos. Frases como "se não concorda, azar o seu", ou "existem idiotas que acreditam em X e Y por ai" me incomodaram. Como se trata basicamente de um guia filosófico, é crível que, ao menos, os leitores tenham alguma base para iniciar a leitura. E mesmo que não tenham, achei que lançar esses tipos de construções dão um ar presunçoso por parte do autor e desnecessários à obra. Outro ponto também é que, apesar de citar diversos filósofos de diversas correntes (o que é bom, para termos uma noção da ideia central de cada um) e salientar sempre que pratica a filosofia em primeira pessoa, Pondé no final sempre apresentava qual que ele acreditava mais ser a mais válida.





Sem dúvidas, Luiz Felipe Pondé é um cara culto, que domina muito bem diversos campos da filosofia e eu diria até sobre a religião, como foi bem tratado em alguns capítulos. É um livro que nos envolve sedentos por tanto conhecimento, ao mesmo tempo que necessita de um certo cuidado para não enxergar apenas a visão do autor. Como ele mesmo diz no capítulo introdutório, é o jeito que ele vê as coisas e a maneira como ele faz filosofia. É um bom ponto de partida para criar discussões, seja concordando ou não com o autor.  A capa está uma graça e a diagramação do livro muito bem feita. Espere para ver muito de Nietzche, Platão, Marx, Aristóteles e até antropólogos e romancistas. O que não podemos negar: "Filosofia para corajosos" tem muita base e é, com certeza, para corajosos. Todos esses questionamentos um dia, responderemos (ou não), mas não encanem e deixem de viver, porque como o o autor bem diz: "No final, a vida é, em muito, como passar o tempo sem se desesperar." (pág.. 143)




Besos!






9 Comentarios

  1. Olá!
    Apesar de não estar acostumada a leituras desse estilo, achei a obra muito interessante e inteligente. Na época da faculdade, sempre procurava livros com esse tema. Gostaria de ler e refletir sobre os assuntos abordados e assim conhecer o posicionamento do autor.
    Ótima resenha. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Juuh!
    Acompanho o Pondé na TV Cultura e ele é inteligentíssimo, porém é um pouco debochado mesmo e gosto do jeito irreverente dele. Cada um tem o direito de pensar como quer, nós não somos obrigados a aceitar, concorda?
    Como no livro ele traz pontos bem relevantes e devemos questionar, gostaria de ler, porque é a verdadeira filosofia: fazermos questionamentos.
    “A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Oi Juuh!
    Não conhecia o autor, gostei do enredo, apesar de não ler mto esse gênero, vou anotar a dica pra conhecer um pouco mais do autor!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!!!
    Muito bom ter conhecido sobre a obra mesmo nunca ter lido nada do gênero é um livro que contenha uma história muito boa e inteligente eu leria sem dúvida.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  5. Ultimamente tenho curtido bastante essa temática filosófica, pelo fato da psicologia ter surgido da filosofia, tenho estudado bastante essa matéria na graduação como você. Pelo que vejo o autor fez um bom trabalho, e vem, vamos dizer assim, trabalhar junto ao leitor o pensamento críticos em relação a várias temáticas. Achei bastante interessante e já vou incluir na lista de desejados.

    ResponderExcluir
  6. Oi Juliana! Tenho esse livro há um tempinho, mas ainda não me animei a lê-lo. De fato, pelo que você disse, precisa mesmo de uma dose de coragem para encarar certas verdades, mas é uma pena que o autor tenha pecado nesses comentários bem desnecessários aí que você citou :/ com certeza verei o livro com outros olhos por causa disso.

    Beijos
    Duas Leitoras - Promoção de aniversário rolando no blog! Serão 3 vencedores!

    ResponderExcluir
  7. Olá Juliana!
    Apesar de ser um livro super interessante, tem quer obter uma coragem enorme para ler porque questões filosoficas tem que ter uma mente aberta e saber entende o que realmente ele esta falando e como você diz tem que ter coragem para pode enfrentar uma leitura assim!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Achei a obra de uma inteligência incrível, muito bem elaborada.
    Porém pra mim é um tanto sofrível porque filosofia é uma matéria que não me entra rsrs, acho tediosa e não consigo me concentrar pra adentrar a leitura porque acho tudo muito tedioso, vou deixar pra quem curte.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia este livro e nem o autor, mas após ler sua resenha percebi que a história do livro não faz meu estilo de leituras e não despertou meu interesse em ler, apesar de parecer ser um livro bem interessante, não curto muito filosofia, então não pretendo ler.

    ResponderExcluir